Quinta-feira, 18 de Junho de 2020
Os bispos de Moçambique estiveram reunidos em assembleia plenária, de 9 a 13 deste mês, em Maputo, e debateram entre vários assuntos, a situação do terrorismo em Cabo Delgado, os ataques no centro do País e a pandemia da COVID-19.

Na primeira assembleia plenária da Conferência Episcopal de Moçambique (CEM), deste ano, os bispos daquele país lusófono exortaram o povo moçambicano “a não desfalecer, ou perder a fé, nestes últimos tempos em que Moçambique vive a provação devido aos ataques armados e a pandemia da COVID-19 que já conta com perto de 600 casos positivos e 3 mortos declarados oficialmente pelas autoridades sanitárias do País”, lê-se numa entrevista do porta-voz da CEM, D. João Carlos, ao site VaticanNews.

O Bispo de Chimoio e porta-voz da CEM descreveu também as linhas de força do encontro dos Bispos de Moçambique que se debruçaram igualmente sobre os seminários e a possibilidade de retoma do seu ciclo formativo, o qual foi suspenso devido ao surto da COVID-19 em Moçambique, fato que ditou o “estabelecimento do Estado de Emergência no País, que já vai para o terceiro mês consecutivo”. Os Bispos de Moçambique publicaram também uma Carta Pastoral sobre estes assuntos.
[LFS – Ecclesia]

Clique nos links abaixo para ler o Comunicado, a Carta Mensagem e a Nota Pastoral dos Bispos de Moçambique:

1) Comunicado da Conferência Episcopal de Moçambique (CEM) às comunidades cristãs e às pessoas de boa vontade

2) Carta-Mensagem da CEM aos Irmãos de Cabo Delgado Plenária de Junho 2020

3) NOTA PASTORAL da Conferência Episcopal de Moçambique (CEM): “Alegrei-me quando me disseram: vamos para a Casa do Senhor” (Sl. 122,1) – Viver a fé em tempo de pandemia. Junho de 2020