Segunda-feira, 7 de Julho de 2014
Na sua última reunião em Casablanca, em Dezembro de 2013, o Conselho Internacional decidiu organizar a próxima edição do Fórum Social Mundial de 2015 de novo em Tunes, de 24 a 28 de Março. Esta decisão foi tomada depois de uma avaliação da organização e do impacto do FSM 2013, depois de uma leitura comum da situação e das lutas dos movimentos sociais da região e no mundo, do novo contexto geopolítico e da evolução da crise do modelo neoliberal.


Nas fotos:

Missionárias e missionários
combonianos no FSM de 2013,
na Tunísia
.

Está claro que, depois de ter sido em 2011, graças às revoluções e os movimentos democráticos, uma fonte de esperança para si mesma e para o resto do mundo, a região passa por evoluções que inspiram profunda preocupação. Os governos dos últimos três anos não foram capazes de reformular e implementar alternativas para responder às preocupações dos jovens em busca de liberdade e de emprego, às mulheres que buscam a igualdade, aos movimentos que buscam justiça social. Pelo contrário, em toda a região, o fluxo de armas e a violência de extremistas religiosos se enraízam, as políticas neoliberais ditadas pelo Banco Mundial e o FMI são apresentadas como a única solução e os movimentos sociais e democráticos são criminalizados. Intervenções políticas e militares externas converteram-se em norma e em cada caso mira à exploração da instabilidade interna em favor dos Estados Unidos, da Europa, da Turquia e dos países do Golfo.

Além do Magreb Mashreq, o continente africano, transformado em uma fonte principal de matérias primas e apresentado como a “nova fronteira” económica, também é golpeado duramente pela violência extremista, o saque dos recursos, a violência devastadora dos programas de ajuste e a militarização generalizada dos seus territórios.

Em todo o mundo, incluindo Europa, Ásia, América Latina e do Norte, os movimentos sociais se defrontam-se com o agravamento das crises económicas, sociais e ambientais, e um questionamento sistemático dos seus direitos. Novas tensões directamente relacionadas com as estratégias hegemónicas para apropriarem-se de recursos e mercados levam a temer o pior na Europa, Ásia e África.

O Fórum Social Mundial continua a ser, mais do que nunca, um espaço vital para os movimentos sociais que lutam para que os povos salvaguardem a sua dignidade, continuem a ser os donos dos seus próprios destinos, e conquistem novos direitos económicos, sociais, culturais e ambientais e construam alternativas ao neoliberalismo, mais necessárias do que nunca.

Os movimentos sociais tunisianos e do Magreb Mashreq convidam a todos para, de 24 a 28 de Março de 2015, partilharem os esforços feitos para alcançar mais justiça, igualdade e paz, para discutirem temas mundiais, e para construírem juntos alternativas às quais todos os povos do mundo aspiram.

Juntos, queremos implementar um processo de preparação do FSM 2015 (*) aberto, participativo, democrático e acolhedor.

Outro Magreb Mashreq é possível
Outra África é possível
Outro mundo é possível
Tunes, 20 de Junho de 2014
Comité Organizador do FSM 2015

(*) Algumas datas no processo de preparação
• Abertura do site: 25 de Junho 2014.
• Seminário do Conselho Internacional do FSM, em Ottawa, Agosto de 2014 (a confirmar).
• 1º Seminário Internacional e reunião do Conselho Internacional em Tunes: final de Outubro de 2014.
• 2º Seminário Internacional em Tunes, Fevereiro de 2015.