Quarta-feira, 13 de Novembro de 2019
“Com a memória ainda viva do retiro espiritual para as autoridades do país, realizado no Vaticano em abril passado, desejo renovar o meu convite a todos os atores do processo político nacional para que procurem o que une e superem o que divide, em espírito de verdadeira fraternidade”, declarou o Papa Francisco, anunciando deste modo uma viagem ao Sudão do Sul no próximo ano.

O jovem país foi devastado em seis anos por uma guerra civil que provocou 400 mil mortos e quatro milhões de deslocados: o Papa pediu aos políticos, em abril, um “compromisso com o povo”. Foto © ACN Portugal.

O mais jovem país do mundo atravessa uma grave crise política e alimentar. Em abril, os líderes sul-sudaneses encontraram-se com o Papa no Vaticano. De acordo com a agência Ecclesia, que citava o portal Vatican News, a visita do Papa ocorrerá em 2020. Na ocasião do anúncio, feito na recitação do Angelus de domingo, 10 de novembro, o Papa recordou que o “povo do Sudão do Sul sofreu muito nos últimos anos e espera com grande esperança um futuro melhor, especialmente o fim definitivo dos conflitos e a paz duradoura”.
[7Margens]