Junte-se ao Movimento Católico Global pelo Clima: diga não à destruição de parques nacionais

Immagine

Terça-feira, 23 de Junho de 2020
O Movimento Católico Global pelo Clima (GCCM) está apoiando ativamente a campanha contínua na região da África Oriental, em Uganda e Tanzânia, para deter a proposta do Oleoduto de Petróleo Bruto na África Oriental (EACOP).
[Foto de William Dicks]

Enquanto os movimentos climáticos e de justiça social em todo o mundo estão exigindo uma "Recuperação Justa" para a pandemia do coronavírus, as empresas de combustíveis fósseis estão a todo vapor com grandes projetos que representam sérios riscos à saúde humana e planetária.

O GCCM está apoiando ativamente a campanha contínua na região da África Oriental, em Uganda e Tanzânia, para deter a proposta do Oleoduto de Petróleo Bruto na África Oriental (EACOP).

O EACOP seria o oleoduto de petróleo bruto mais longo no mundo aquecido eletricamente, com mais de 1.443 quilômetros. Se for permitido continuar, o projeto irá:

  • Causar uma grande poluição das fontes de água da África Oriental, incluindo o lago Albert, colocando em risco as vidas e a qualidade de vida de milhões de pessoas;
  • Levar ao deslocamento forçado em massa de pessoas em suas terras ancestrais;
  • Destruir alguns dos parques intocados de Uganda, como o famoso Parque Nacional Murchison Falls;
  • Adicionar toneladas de CO2 exponencialmente às emissões globais, que devem ser mantidas reduzidas para evitar os impactos catastróficos das mudanças climáticas.

O GCCM está apoiando a petição que pede ao Standard Bank of South Africa e Sumitomo Mitsui Banking Corporation (SMBC) do Japão que parem de financiar o EACOP. Inclua aqui o seu nome na petição e compartilhe com a suas redes.

A petição será entregue no dia 25 de junho, quinta-feira, ao Standard Bank of South Africa,  antes de sua Assembleia Geral Anual na sexta-feira 26 de junho.

Em julho de 2019, o cardeal Turkson, prefeito do Dicastério do Vaticano para o Serviço do Desenvolvimento Humano Integral, dirigiu sua fala em uma reunião de jovens patrocinada pela ONU no Quênia e alertou sobre esse perigoso oleoduto.

“Um exemplo de destruição preocupante das florestas tropicais africanas está ocorrendo muito perto daqui, em Uganda. Grandes projetos de petróleo estão sendo realizados nos belos parques nacionais do país. . . pondo em risco aquelas incríveis florestas biodiversas e as comunidades locais. Ao mesmo tempo, esses projetos preocupantes também exacerbam a crise climática, que levou o Papa Francisco a expressar grande preocupação com o fato de que ‘os investimentos em combustíveis fósseis continuam a aumentar, mesmo que os cientistas nos digam que os combustíveis fósseis devem permanecer no subsolo. . . ' Ainda consideramos lucro o que ameaça nossa própria sobrevivência.”

Você está convidado a somar a sua voz e compartilhar esta petição amplamente por meio de listas de discussão, redes sociais e sites/redes pessoais usando #stopEACOP.