Papa Francisco lamenta morte do cardeal Monsengwo, arcebispo emérito de Kinshasa

Immagine

Terça-feira, 13 de Julho de 2021
O Papa lamentou hoje a morte do cardeal Laurent Monsengwo, arcebispo emérito de Kinshasa, que faleceu este domingo aos 82 anos de idade, falando num homem de “coragem e determinação”. D. Laurent Monsengwo, um dos membros do Conselho de Cardeais criado por Francisco em 2013, faleceu na França.

“Peço ao Pai de toda misericórdia que acolha na sua paz e na sua luz este exegeta, este homem de ciência, este grande homem espiritual e este pastor intensamente dedicado ao serviço da Igreja, onde quer que tenha sido chamado”, refere a mensagem enviada ao atual arcebispo de Kinshasa, na República Democrática do Congo, cardeal Fridolin Ambongo Besungu.

“Atento às necessidades dos fiéis, cheio de coragem e determinação, o cardeal Monsengwo dedicou a sua vida de sacerdote e bispo à inculturação da fé e à opção preferencial pelos pobres. Deste modo, encarnou a missão profética da Igreja. Homem de justiça, paz e unidade, estava profundamente envolvido no desenvolvimento humano integral da República Democrática do Congo”, destaca a mensagem do Papa.

Francisco elogia uma “figura grande e respeitada na vida eclesial, social e política” que esteve “sempre comprometido com o diálogo e a reconciliação do seu povo”. “A sua contribuição foi significativa para o progresso do país. Fiel e colaborador próximo nos seus últimos anos, não deixou de dar o seu contributo para a vida de toda a Igreja”, conclui Francisco.

Laurent Monsengwo Pasinya nasceu a 7 de outubro de 1939 e foi ordenado sacerdote, em Roma, a 21 de dezembro de 1963; a 6 de dezembro de 2007, Bento XVI nomeou-o arcebispo de Kinshasa e no Consistório de 20 de novembro de 2010 foi criado cardeal.
[OC - Ecclesia]