COMBONI COMO HOJE

O papa Roncalli é o padroeiro da não-violência

Quarta-feira, 13 de Setembro de 2017
A vida e as obras de São João XXIII não podem ser associadas às Forças Armadas. Mas antes ao diálogo e à busca da paz entre os povos. Não faz sentido a decisão de nomeá-lo padroeiro do Exército. “Por estas razões, Nigrizia – escreve o P. Efrem Tresoldi – associa-se à vasta parte do mundo católico, com Pax Christi à cabeça, que contesta a nomeação, querida pelo arcebispo D. Santo Marcianò, Ordinário Castrense de Itália (Diocese das Forças Armadas), e aprovada pela Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos. Uma nomeação que contrasta com o pensamento e a acção deste papa. Seria desejável, pelo contrário, ver a figura e o exemplo do papa Roncalli propostos para proteger aqueles que, crentes ou não, trabalham por uma humanidade livre de armas e de exércitos, e se empenham em propor a não-violência activa como norma para desfazer e resolver os conflitos.”